20/12/2016 10:12

Moagem de cana-de-açúcar deve crescer 4,4% e atingir 695 milhões de toneladas, avalia Conab

Em terceiro relatório de acompanhamento de safra, a  Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) estimou ligeiro crescimento da cultura canavieira no país, com forte aumento da produção de açúcar e ligeira queda na produção de etanol .

Produção

Segundo técnicos do órgão, a produção de cana-de-açúcar deve crescer 4,4% na safra 2016/17, fechando em 694,54 milhões de toneladas.

O crescimento da produção de açúcar será 18,9% superior à safra 2015/16, com expectativa de atingir 39,8 milhões de toneladas.

A produção do etanol terá deve totalizar 27,9 bilhões de litros, uma redução de 8,5% em relação à safra passada. A estimativa aponta ainda queda de 14,3% para o tipo hidratado nesta safra.

Regiões:

Confira abaixo a análise dos técnicos da Conab para a safra 2016/17 por região.

Sudeste

Aumento da área colhida em relação ao ciclo 2015/16, em virtude da menor incidência de chuvas nos canaviais da região. Há mais cana bisada nos canaviais este ano – em decorrência da cuvas, o que deve aumenta a produção total no Sudeste em 7,1%.

Centro-Oeste

Haverá aumento de área colhida em relação à safra anterior, com cenário favorável devido ao menor volume de chuvas. A expectativa é de aumento de 9,5% na produtividade e queda de 3,9 em produção total.

Nordeste

A expectativa é de redução da área colhida nesta safra. Com cenário no qual as usinas concentram a produção da cultura em terras próprias em detrimento a de fornecedores. Haverá um ligeiro aumento na produtividade, reflexo da recuperação do déficit hídrico registrado na safra 2015/16.

Sul

É a região com maior aumento percentual de área no país. O Paraná deve colher a cana bisada que sobrou da safra anterior.

Norte

Com de 1% da produção canavieira, a região continuará crescendo em área plantada. A produtividade porém não acompanha este movimento.

 

Os dados deste levantamento e anteriores estão disponíveis em nosso dashboard de mercado.

 

Área colhida

A expectativa é que o Brasil encerre o ciclo 2016/17 com a colheita de 9 milhões de hectares destinados ao setor sucroenergético, um crescimento de 5,3%  em relação ao ciclo anterior, que representa um aumento de 456,1 mil hectares.

Estimativa de produtividade

A produtividade média para os canaviais nacionais foi estimada em  76.232 kg/ha para esta safra, o que representa uma redução de 0,9 em relação ao ciclo passado.

Produção de cana-de-açúcar

São esperadas 694,5 milhões de toneladas nesta safra, acréscimo de 4,4% em comparação com as 665,6 milhões de toneladas na safra 2015/16.

Motivos:

  • Crescimento absoluto de 32 milhões de toneladas no Estado de São Paulo em virtude das melhores condições climáticas.
  • Crescimento produtivo no Nordeste, motivado pelas chuvas que ocorreram em 2016 na região. A previsão pe de alta de 17,8% em Pernambuco e de 9,8% em Alagoas.
  • No Centro-Oeste a previsão é de queda na produção ocasionada pelo excesso de chuvas, com expectativa de redução de até 3,9% na região.

Estimativas para o açúcar

Para a companhia, os preços favoráveis do açúcar no mercado internacional estimularam a produção de açúcar pelas usinas. O déficit internacional de açúcar teve forte papel nesta alta.

Em análise, a companhia alerta que abertura de novos mercados para o açúcar na União Europeia, bem como, a estagnação na demanda do etanol, fazendo que empreendimentos mistos destinem a moagem da cana-de-açúcar para fabricação do açúcar em face do mercado se encontrar mais aquecido.

A estimativa da Conab é de uma tendência de aumento na produção de açúcar na ordem de 18,9%. Com produção estimada em 39,8 milhões toneladas, com acrécimo de 6,3 milhões de toneladas em relação à safra anterior.

A companhia calcula que o Sudeste, maior produtor nacional, será responsável por 61,6% do açúcar produzido.

Estimativas para o etanol

O tipo anidro, único com expectativa de aumento, deve totalizar 11,4 bilhões de litros nesta safra. O hidratado apresentou certa estagnação em sua produção o que deve resultar em queda de 14,3% em sua fabricação, chegando aos 16,5 bilhões de litros.

 

Para acessar o relatório completo, clique aqui.

Texto produzido integralmente pelo InfoCana a partir do relatório da Conab.

Notícias relacionadas

Controladora de 3 usinas quer ampliar o capital social em R$ 44 milhões

09/08/2017 08:08

Usina de MG convoca acionistas para discutir investimentos

07/08/2017 09:08

Usina em recuperação judicial apresenta plano de negócios

06/07/2017 08:07

Encontre mais notícias